Feng Shui

Feng Shui

O termo Feng Shui é de origem chinesa, cuja tradução literal é vento e água.

Com tradição de mais de 6.000 anos, trata-se é uma corrente de pensamento que estabelece uma relação entre yin/yang, os ideogramas Feng e Shui, respectivamente Vento – yang – e Água – yin, representando o conhecimento das forças necessárias para conservar as influências positivas presentes em um espaço e redirecionar as negativas de modo a beneficiar seus adeptos.
Os mestres chineses que o estruturaram perceberam que cada área natural, terreno ou edificação seria dotada de sua própria vibração influenciada pela presença do Ch’i, e estaria sujeita às várias influências do ambiente que a circunda.

Constatando que certos tipos de vibrações presentes no ambiente e em seu entorno poderiam agir de modo benéfico para o corpo e a mente, enquanto outros tipos tenderiam a ser prejudiciais, compreenderam a importância de estudar como situar as edificações, móveis e objetos da maneira mais adequada para favorecer a harmonia e a prosperidade.

Quando as pessoas buscam este equilíbrio com as forças benéficas da Natureza, podem gozar de saúde,harmonia, boa sorte e prosperidade. Quando as ignoram e se alinham com influências nocivas, podem experimentar dificuldades e obstáculos que podem se expressar como doenças, má sorte ou indisposição.

Os mestres taoístas que desenvolveram esta arte, não utilizavam-na isoladamente: consideravam-na mais um instrumento de equilíbrio a ser utilizado em conjunto com outras práticas articuladas ao todo científico.

O Terapeuta de Ambientes, da mesma forma que um Acupunturista que diagnostica os bloqueios na circulação de energia de um paciente e aplica agulhas em uma parte do corpo para curar uma outra parte ou órgão, detecta as influências visíveis e invisíveis em um ambiente e recomenda ações em uma área particular do imóvel que são capazes de alterar as características da circulação de energia no todo.

O conhecimento destas “influências” pode explicar muitos fenômenos que percebemos apenas de forma intuitiva, por exemplo: o que nos faz sentir confortáveis em determinado ambiente; porque certas áreas de uma edificação são pouco ou nunca ocupadas; porque alguns dos seus moradores sempre estão adoentados; porque certas edificações ou áreas em uma cidade são bem ocupadas enquanto outras são evitadas pelos habitantes.

O primeiro objetivo do Feng Shui é guardar e preservar as boas influências disponíveis no lugar de modo a permitir que permaneçam e se distribuam suavemente pela edificação.
O segundo objetivo é reduzir os efeitos negativos das diversas influências nocivas ao local, presentes na sua construção ou frutos das alterações em seu entorno.

O terceiro objetivo é implementar ações que possam produzir resultados em termos de saúde, bem-estar e harmonia para os moradores ou usuários do espaço tratado. Isto pode ser conseguido estimulando as características benéficas do espaço para as pessoas que habitam este local – através das alterações arquitetônicas ou da forma, da cor, e do posicionamento dos objetos presentes no local, por exemplo.

Quer saber como aplicar o Feng Shui de forma eficiente e com resultados expressivos?

Entre em contato!